11 março, 2018

Florescer: Bálsamo para a Alma




Introdução do livro:

"A vida é aparentemente uma simples e terna passagem aqui na Terra. Há muitos que cruzam os braços e assistem ela passar diante de teus olhos, como um passatempo; sem questionar toda a existência, sem contemplar toda a beleza, sem analisar todo o renascimento que todas as coisas vivas passam, devido a inúmeros processos. Toda a magnificência de cada molécula que constrói junto a vários outros elementos tudo o que nos rodeia e também tudo o que somos e seremos. Pobres pessoas que seguem adiante sem entender a intensidade e a essência da eternidade que nasceu com elas e junto delas. Por muitas vezes parecer difícil refletir, a vida se minimiza de tal forma para essas pessoas, em meio ao seu torpor violento, entretido e afogado em seus problemas, tornam-nas cegas demais para ter discernimento de que a vida é algo totalmente indescritível e sagrado. Que envolta de sua natureza, existe tantas coisas completamente majestosas ao olhar; povos que se quisessem, arrancariam de seus olhos essas vendas que os impedem de ver a plenitude que lhe foi entregue como um presente. Todos esses jogos de interesses, superficialidades, concorrências, buscas frenéticas pelo poder iriam de fato se resumir a nada diante da verdadeira visão que se carrega nos corações que descobriram na vida, o seu real significado, seu sentido sagrado e completamente incomparável. A vida é o sopro de Deus que corre dentro de todos os seres viventes, consciente ou não, Ele vive, aqui, ali, por todos os lados através de tudo o que tem vida. Porque Ele é a vida. No entanto, ainda há tempo para aqueles que escolheram enxergar a verdade e se libertar definitivamente deste mundo hipnotizador, que nos cerca com vitrines ilusórias, a fim de nos fazer perder tempo, até que o mesmo acabe e nós nos tornaremos apenas o pó da terra, sem nenhuma história, sem nenhuma jornada, propósito ou mesmo luta a favor Daquele que está sempre disposto a nos perdoar e redimir. Desejo que em “Florescer – Bálsamo para a alma”, vocês possam observar que ainda há tempo para ser livre e viver uma nova vida, com os olhos bem abertos, cobertos da sabedoria divina."

Clique aqui para comprar o seu!

10 março, 2018

Nosso Próprio Tempo





“Tudo é vário. Temporário. Efêmero.”
Chico Buarque.  



Hoje eu estou na onda de reler textos antigos meus. Porque faz tempo que não posto um novo aqui no blog.
Mas isso não me deixa mal. A gente precisa aprender a respeitar nosso tempo. 
Eu tinha uma colega que precisava escrever um texto novo todo dia. Caso contrário, na cabeça dela, seus leitores iriam abandona-la.
Sua escrita que era para ser algo gostoso de ser feito, se tornou um fardo. 
Ela com o tempo começou a escrever textos de péssimas qualidades porque ansiava por quantidade. 
"- Eu preciso terminar logo este livro, para começar outro."
"- Eu preciso escrever um novo texto para minha  página ou blog não ficar desatualizado e perder visibilidade."

Ela se tornou escrava do seu próprio dom, em busca de likes, seguidores, leitores... Enfim...
Eu só acho que no mundo de hoje, as pessoas andam escrevendo muito para se auto-afirmar. Para se manter em evidência. Para ganhar likes e muitos elogios.
Não tem mais aquela essência de pegar num papel, sim papel de verdade, tomar um café e rabiscar ideias ainda sem saber o que vai fazer com elas. 
Não existe mais a desconexão da vida virtual, para ir lá na vida real buscar algo que você anseia dividir pro mundo, mas não porque você está atrás de seguidores, mas de pessoas com almas tocadas por palavras que nos mergulham em uma grande catarse emocional. Trazendo-nos o sentido da poesia, do romance, do conto... Da vida!

Se a vida imita a arte - eu não tenho dúvidas! Há muita arte sem alma, está aí para provar a vida sem sentidos que muitos estão vivendo. 
A qualidade das coisas vem se diminuindo gradativamente... E isso é reflexo do que vivemos e permitimos ser influenciados. 
Ser bom hoje em dia não é o bastante. Aquela coisa de vazio que o ser humano tem em buscar coisas supérfluas, agora também está na arte... Na ânsia de buscar pessoas e não tocá-las. Estamos literalmente trocando a qualidade pela quantidade. E isso é muito triste. 
Não tem nada mais lindo na vida que você parar para olhar ao seu redor, observar o mundo e criar novas coisas a partir das verdadeiras e lindas emoções que afloram em seu peito.
Levar algo para o mundo sem intenção de receber nada em troca, levar literalmente por amor. Contribuir com sua parcela de valor para o mundo e receber seu reconhecimento em meio a gratidão das pessoas... e que todo sucesso seja consequência desse amor inexplicável pelo que se é escrito, pelo que se é vivido.

21 novembro, 2017

Mayara



Eu cresci num lixão com minha mãe e meu irmão, passávamos o dia todo com fome, não existia comida descente que um dia sequer comecemos. Além de trabalhar muito tentando catar coisas para dar algum dinheiro a mais, não íamos a escola.
Era uma vida miserável, parecia que eramos esquecidos por Deus. Até que uma família requintada visitou nosso barraco, e segundo eles, gostariam de adotar crianças que moravam em estados deploráveis como a gente, mas eles não podiam adotar duas crianças, somente uma, e eu fui a escolhida. No começo eu chorei muito, não queria ficar longe das pessoas que eu amava, mas com o tempo fui me acostumando a ideia. Talvez essa seria a única chance que eu poderia ter na vida de poder crescer como ser humano e voltar para ajudar minha mãe e meu irmão.
Depois de toda papelada assinada por minha mãe e pelos meus pais adotivos, pude finalmente ir para o meu novo lar.
Era uma casa imensa, linda, eu tinha um quarto só meu e podia finalmente agora ir para escola e sem precisar trabalhar. Meus novos pais eram os melhores do mundo, sempre deixava eu visitar minha família.
Com 9 anos de idade ganhei uma festa só minha, com todos meus novos amigos comemorando comigo. Minha nova vida era um sonho, até que recebi um dia depois a notícia da morte de minha mãe verdadeira, fiquei devastada. Tentei visitar meu irmão, mas ele já tinha sido levado pelo conselho tutelar.
Eu fui seguindo meus dias e meses triste, não conseguia achar meu irmão, e eu precisava da família nova que me adotou para tudo, afinal, eu era só uma criança. 
Passou um tempo, já estava no ensino fundamental, tinha completado 11 anos de idade, e muitas pessoas achavam que eu tinha na verdade 13 anos, devido meu crescimento rápido.
Aos doze anos eu me formei como mulher, minha primeira menstruação desceu num dia em que estava todo mundo em casa, num domingo ensolarado, comendo churrasco.
Lembro que foi uma vergonha, pois estava na piscina, e de repente todo aquele sangue começou a subir e eu entrei em pânico.
Minha mãe adotiva, que por sinal se chama Selena, me levou para o quarto e conversou comigo sobre tudo o que ela tinha que conversar, confesso que foi um alivio.
Fui seguindo minha rotina normal, até que fui percebendo que meu pai adotivo, chamado Vitor, começou a mudar comigo, ele se afastava, não conseguia me encarar direito, não conseguia dividir o mesmo cômodo mais sozinho comigo.

Até que finalmente a bomba caiu sobre mim, em uma noite qualquer e quente, pude sentir alguém entrando em meu quarto, sentando sobre minha cama, e parado ali, começou a me observar. Eu sabia que se tratava de Vitor, porque sentia sua respiração funda perto de minha pele, e seu cheiro de cerveja logo o entregava.
Eu senti medo e fingi estar dormindo na esperança que ele fosse embora dali; mas ao observar meu sono, ele começou a passar suas mãos horrendas sobre meu corpo, e me apalpar toda. Eu não sabia o que fazer, se gritava ou continuava parada. Ficava pensando na Selena. No quanto ela era boa para mim, e do quanto seria uma grande decepção para ela saber daquilo. Talvez fosse a bebida, falei a mim mesma, enganando-me de que aquilo não se repetiria novamente. Mas o inferno estava apenas começando, dos toques passaram a ser beijos molhados e nojentos, dos beijos começaram as relações sexuais violentas, e de repente eu era o seu brinquedo a base de ameaças. Principalmente ameaças contra quem mais amava, Selena.
O incrível é que ela era tão boa e boba, nunca notou nada, mesmo quando minhas notas começaram a despencar tão de repente e eu ser diagnostica com síndrome do pânico junto a uma maldita depressão severa.

Eles me levaram a todos os tipos de médicos e me fizeram fazer todos os tipos de tratamento. Mas é lógico que eu não iria melhorar enquanto continuasse vivendo nesta casa.
Foi quando fiz 15 anos que decidi fugir de casa.
Voltei à estaca zero da minha vida, encontrei o barraco de minha mãe abandonado e comecei a dormir lá, de dia eu catava lixo como ela, e de noite eu passava chorando e tendo pesadelos com os abusos que sofria.

Fiquei vivendo assim por 3 anos da minha vida, precisava me mudar constantemente para que eles não me achassem.
Quando completei 18 anos, vi em um jornal que eles estavam aceitando faxineiras num prédio de jornalismo muito lindo. E consegui o trabalho. Enquanto limpava, ficava sonhando em ser uma jornalista como todas aquelas mulheres lindas e bem arrumadas que passavam sobre mim. Mesmo passando por tanto preconceito e indiferença, eu não me dava por vencida. Matriculei-me numa escola e recomecei a estudar, aos 25 anos de idade eu já havia terminado o ensino médio e finalmente poderia entrar para a faculdade de jornalismo.
Lembro-me da primeira vez que retornei para aquele prédio chique como estagiária.
Não foi fácil, eles ainda sabiam que eu era a antiga faxineira e me tratavam como tal, mas eu não me entregava, se eu havia chego até ali, eu teria de ir até o fim.
Se eu tive momentos em que queria desistir de tudo?
E como! Só Deus sabe o quanto, mas hoje eu estudo jornalismo e moro em uma pequena casa alugada, que é minha. Nunca mais vi o Vitor e muito menos Selena.
Mas um dia eu voltarei e colocarei todos os panos na mesa... Só estou esperando minha oportunidade chegar para que eu faça justiça.



10 novembro, 2017

O Poder das Palavras



Eu tive e convivi com diversos exemplos acerca do poder que carrega as nossas palavras. E tenho certeza de que você também já ouviu falar. Mas eu venho aqui para dizer que tudo isso não é só histórias que o povo conta ou mesmo algum tipo de superstição.
De fato, a palavra tem poder, tudo que sai do coração do homem de forma negativa ou positiva acaba atraindo as mesmas.
Quem nunca ouviu falar de uma pessoa que vive resmungando e com isso a vida dela em nada melhora? Só atrai coisas ruins. 
Eu aprendi sobre isso mais ainda ontem, depois de uma maravilhosa pregação que assisti, e sendo crente, mas do que nunca fiquei tão chocada com a quantidade de assuntos na bíblia fala sobre isso. E sabemos muito bem que a bíblia dá grandes origens a ditados populares completamente sábios como "A boca fala o que está cheio o coração".
A bíblia também diz que nossa língua serve tanto para a salvação quanto para a perdição.
Satanás foi o único anjo querubim a ser ungido por Deus, ele sabe que um ungido não pode ser atingindo pelo que vem de fora, então ele tenta te convencer de seus pensamentos negativos para que tu mesmo te condenes.
Cuidado com o que falas, se teu coração deseja falar coisas desagradáveis, cala-te, antes que o sentimento vire fruto.
Assim também é com as coisas positivas, mas muito além de pensamentos positivos que atraem coisas positivas, é dar poder a ela com o que se diz com fé o que deseja seu coração. Bendiz a tua vida sempre, mesmo quando não parecer fácil, tenho certeza que o resultado dessas coisas virão a cada dia.
Não anule suas orações com palavras de derrota, não deixa de perder sua benção por isso.
Deus criou os Céus e a Terra somente com o poder da palavra, somos semelhantes a Ele e fomos criados para a obedecer sua palavra. Que não venhamos perecer por falta de conhecimento, leiam mais a bíblia e pratiquem a palavra de fé em suas vidas.

Cliquem aqui para assistir a maravilhosa pregação que reforçou ainda mais minha fé neste assunto.